A Fundação Sousândrade esteve presente no maior evento de ciência e tecnologia da América Latina, na 69ª Reunião Anual da SBPC- Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, encerrada dia 22 de julho, em Belo Horizonte (MG), e trouxe novos conhecimentos a serem implantados no Núcleo Científico-Tecnológico.

Mesa SBPC grisalho abilio CApes comreitor UFMG e coord evento

Com o tema “Inovação – Diversidade – Transformações”, o evento ofereceu uma semana de debates, palestras, oficinas, conferências e divulgação científica. Na foto ao lado, compondo a mesa, o presidente do Capes, Abílio Neves, o reitor da Universidade Federal de Minas Gerais, Jaime Ramirez, e a coordenadora do evento, Helena Nader.

A diretora-presidente da FSADU, Evangelina Noronha, destacou como um dos momentos importantes do evento as discussões levantadas na mesa-redonda “O papel do núcleo de Inovação Tecnológica (NITS) no Contexto do Novo Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação”, coordenado por Gilberto Ribeiro , da Universidade Federal de Minas Gerais.

prof doutora Lubras com profa Evangelina 69 SBPC

“A Fundação dispõe de um Núcleo de Apoio Científico e Tecnológico (Nacitec), pelo qual desenvolvemos parcerias para oferecer capacitações e formações por meio de cursos presenciais e à distância. Acreditamos no caminho da educação continuada e estamos sempre abertos a novas formas de aprimorarmos nossos serviços”, disse ela, acompanhada da coordenadora do curso de Libras oferecido pela Fundação, Maria Nilza Quixaba, professora doutora do Departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão (na foto com a presidente Evangelina).

O Maranhão também esteve representado na reunião da SBPC através do secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), Jonathan Almada. O secretário lançou no evento a Coleção Biblioteca Básica Maranhense (BBM). O projeto tem como objetivo difundir e publicar obras relativas ao debate e à reflexão sobre o Maranhão que sejam considerados clássicos na área de conhecimento, bem como relevantes para a interpretação da realidade maranhense.

A Biblioteca Básica Maranhense (BBM) começa com quatro trabalhos: “A Produção da Coisa Pública”, de autoria do professor Raimundo Palhano, “A Empresa de Economia Mista e Desenvolvimento do Maranhão”, do professor João Batista Ericeira, “Planejamento e Desenvolvimento do Maranhão”, de autoria do secretário Jhonatan Almada, e “Formação Social do Maranhão”, do advogado Rossini Corrêa.

SBPC EM NÚMEROS
6,5 mil inscritos de todos os estados brasileiros
1,250 mil estudantes de graduação
244 estudantes de pós-graduação.
15 mil pessoas visitaram

Back to Top