SISTEMA PORTUARIO 

 

OBJETIVO GERAL: Qualificação de profissionais da área e interessados em ingressar no mercado de trabalho do setor portuário e marítimo com temas relacionados com o sistema portuário nacional e internacional e dos conceitos, fundamentos e tipologia do transporte marítimo.

 

PÚBLICO-ALVO: Administradores, engenheiros, economistas, contadores, estudantes universitários ou tecnólogos e demais interessados no setor portuário e marítimo.

 

INVESTIMENTO POR ALUNO: R$ 450,00

 

PERÍODO DE INSCRIÇÕES: 03/04 A 31/05/2017

 

METODOLOGIA DO CURSO: O curso será oferecido por meio de aulas presenciais, videoaulas, textos, e-book, fóruns e atividades de aprendizagem alternativa.

 

VISITA TÉCNICA: Ao final do curso será realizada uma visita técnica em um terminal portuário de São Luís, de acordo com a disponibilidade das empresas.

 

EMENTA:

1.     MÓDULO I – Logística Portuária e Supply Chain

2.     MÓDULO II – Sistema portuário brasileiro e internacional

3.     MÓDULO III – Governança portuária

4.     MÓDULO IV – Fundamentos do Transporte Marítimo

5.     MÓDULO V – Tipos de cargas e navios

6.     MÓDULO VI – Sustentabilidade na atividade portuária e marítima

 

CARGA HORÁRIA: 60 HORAS

·       24 horas presenciais (6 encontros durante a semana das 18h às 22h em datas alternadas)

·       36 horas via EAD (vídeo aulas, exercícios, fóruns e avaliações na plataforma)

 

LOCAL:  Auditório da Fundação Sousândrade

 

PROFESSOR:

Prof. MSc Sérgio Sampaio Cutrim
Doutorando em Engenharia Naval e Oceânica pela USP
Coordenador da especialização em Gestão Portuária da UFMA.
Coordenador do Grupo de pesquisa GELNEP - Grupo de Estudo em Logística, Negócios e

 

CRONOGRAMA

DATA

DIA

HORÁRIO

HORÁRIO

09/05

Das 18h às 22h

18h - 22h

Logística Portuária e Supplay Chain

11/05

Das 18h às 22h

18h - 22h

Sistema Portuário brasileiro e internacional

23/05

Das 18h às 22h

18h - 22h

Fundamentos do Transporte Marítimo

25/05

Das 18h às 22h

18h - 22h

Governança Portuária

06/06

Das 18h às 22h

18h - 22h

Tipos de cargas e navios

08/06

Das 18h às 22h

18h - 22h

Sustentabilidade Portuária

 

 

DOCUMENTOS PESSOAIS:

OBSCaso a entrega dos documentos não ocorra de forma presencial os documentos abaixo devem estar autenticados. 

 

 

Item

Documentos

1

Cópia do Diploma de Graduação ou comprovante de matrícula em Curso de Graduação ou Tecnologia expedidos por Instituição de Ensino credenciadas pelo MEC

2

Cópia do Histórico Escolar

3

Cópia do Documento de Identidade oficial

4

Cópia do CPF

5

Cópia do pagamento da Taxa de Inscrição

6

1 Foto 3x4 recente

7

Currículo Lattes ou Vitae

 

Cristina Loyola em Dublin mar 17

O Projeto “Cuidando do Futuro”, em parceria acadêmica com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e Fundação Sousândrade (FSADU), foi selecionado e apresentado no 7º Congresso Mundial de Saúde Mental da Mulher, em Dublin, na Irlanda, de 6 a 9 de março de 2017.

 

"Cuidando do Futuro" foi desenvolvido nos anos de 2009 a 2011, por meio de um Convênio firmado entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social – SEDES e esta Fundação, em parceria com o Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento - CPCD.

 

Uma das estratégias foi melhorar a autoestima das mães, para sentirem-se mais fortes emocionalmente e não desistirem do aleitamento exclusivo, bem como não permitirem maus tratos e não abandonarem seus bebês. “Estas são algumas das maiores causas da mortalidade neo natal”, destaca a coordenadora do projeto, Cristina Loyola. “Este trabalho de comunidade é uma sofisticada ação de saúde mental na atenção primária em saúde”, completa.

O projeto alcançou seu objetivo e reduziu em 10% a mortalidade neonatal em 17 municípios do Maranhão. Atual na sua proposta, tem o mesmo foco do “Rede Cegonha”, implantado pelo Ministério da Saúde em 2011, para oferecer às gestantes usuárias do SUS- Sistema Único de Saúde – atendimento cada vez mais qualificado e humanizado.

A FSADU foi além nesta parceria, doando para as mães atendidas pelo projeto, enxovais, máquinas de costura e material de conservação do leite materno.

MAIS DO PROJETO

Um dos grandes marcos deste projeto foi a criação da “Casa do Meio do Caminho”, em Itapecuru-Mirim e em Santa Luzia. São casas de acolhimento voluntário, “empoderadas” de diversas tecnologias sociais e de permacultura, que recebem de maneira generosa e solidária as gestantes que residem na zona rural, as que necessitam de apoio, alimentação ou descanso, as que estão aguardando exames no hospital ou aguardando a volta para suas residências (esta recomendação do hospital para “voltar outro dia”, já implicou em intervenções tardias na gestação, que provocaram, muitas vezes, morte fetal ou sofrimento fetal com quadro asfixio grave no recém nascido).

O projeto contribuiu para a redução da Mortalidade Infantil em 17 municípios do Maranhão considerados prioritários pelo Ministério da Saúde quando da assinatura do Pacto Nacional para redução da Mortalidade Infantil.

Ressalte-se que o “Cuidado do Futuro” implantou, também, tecnologias de cuidados simples e fundamentais para assistência, como:

Algibeiras - forma de tornar visível para todos, quem são as gestantes, em qual trimestre se encontram, nome e endereço, além de elevar a auto-estima da gestante;

Flor de Mãe - garantia/controle do aleitamento materno exclusivo, através de atividades lúdicas de baixo custo;

Placa da Gestante- forma de convocar todo o bairro para cuidar da gestante, tornando-a visível à ESF e à comunidade;

Placa da Puérpera - forma de convocar todo o bairro para cuidar da puérpera, tornando-a visível à ESF e à comunidade, produzindo generosidade e associando cuidados diferenciados (da enfermeira, da benzedeira, da Mãe de Santo, da parteira tradicional);

Folder do Acompanhante - estratégia para contra argumentar médicos e equipe de enfermagem, de que o acompanhante não está preparado para assistir o parto e “atrapalha”. Constatamos que a presença do acompanhante produz apoio emocional à gestantes, e sobretudo produz um constrangimento presencial que pode qualificar o cuidado em saúde.

O público alvo do projeto foram os profissionais de saúde que integravam as equipes de Saúde da Família, notadamente os Agentes Comunitários de Saúde-(ACS) as parteiras leigas, os auxiliares/ técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos da Estratégia Saúde da Família e integrantes da comunidade (familiares de gestantes e líderes comunitários), que nestes municípios somavam um total de 4.771 pessoas que representam cuidadores de 20.904 famílias (considerando-se famílias constituídas por cinco indivíduos).

A estratégia foi ensinar a pensar na metodologia do Plano de Trabalho e Avaliação- PTA sobre Mortalidade Infantil, e saber aplicá-lo no cotidiano das famílias, de modo a produzir uma assistência em saúde que implicasse na redução da mortalidade infantil.

OPTA foi elaborado a muitas mãos: consultores do Ministério da Saúde, técnicos da Secretaria de Estado da Saúde/Secretaria Adjunta de Ações Básicas de Saúde e pelo Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento - ONG que desenvolveu e registrou no Banco de Êxitos do Banco do Brasil a metodologia do PTA (Portal: www.bb.com.br).

 

Objetivo Geral:

Reduzir a mortalidade infantil atuando no fortalecimento das competências familiares, nos determinantes educacional e de qualificação profissional, capacitando todos os atores sociais (médicos, enfermeiras, auxiliares de enfermagem, agentes comunitários de saúde, parteiras leigas e integrantes da comunidade), como Educadores Sociais e como gente que se importa, capazes de desenvolver um trabalho competente, generoso e solidário, na perspectiva de ultrapassar o conceito de Grupo para formar um Time, cuja meta foi de reduzir a Mortalidade Infantil em 10% no período de Dez/2009 a Fev/2011.

Impacto esperado

Desenvolvimento de competências para apoiar gestantes, famílias e recém nascidos, de forma eficiente no desafio de um cuidar solidário e co-responsabilizado entre os atores sociais, protegendo, promovendo a saúde e melhorando a qualidade de vida.

Indicadores:

- Comunidade, família e profissionais de saúde competentes em acolher, apoiar e cuidar das gestantes e seus bebês;

- Gestantes capazes de auto cuidar-se e cuidar de seus bebês;

- Projetos individuais e coletivos de futuro construídos e operacionalizados;

- Indicador de Mortalidade infantil reduzido;

- Aumento da expectativa de vida;

- PTA operacionalizado pelos cuidadores.

Raimundo Palhano e Evangelina Noronha assinam certificado

A Escola de Formação de Governantes (EFG) e Fundação Sousândrade certificaram alunos de 611 municípios que concluíram o Curso de aperfeiçoamento sobre planejamento e gestão do plano municipal de ação do selo Unicef na Amazônia Legal Brasileira. O curso, online, beneficiou nove Estados que fazem parte da Amazônia Legal. Entre eles, o Maranhão, que inscreveu 157 municípios.

A FSADU foi parceira deste curso que buscou capacitar, em serviço, membros das Comissões Intersetoriais do Selo Unicef, aprimorando a formação e atuação profissional na área de planejamento e de gestão de políticas públicas, voltadas a garantir os direitos da criança e do adolescente e conhecendo novos instrumentos de planejamento e gestão.

Na foto, a diretora-presidente da FSADU, Evangelina Noronha, com o diretor da EFG, Raimundo Palhano, assinando os certificados que serão entregues aos alunos. “Como trabalho final, a EFG vai avaliar a metodologia e efetividade do selo e indicar melhorias”, informou o diretor, estimando para final de abril o resultado desta pesquisa.  

Clique aqui para mais informações sobre o curso da EFG.

IMG-20170317-WA0003 

 

Os alunos dos cursos de Especialização Conducente ao Mestrado em Portugal , oferecidos pela Fundação Sousândrade, em parceria com o I.U.A.- Instituto Universitário Atlântico, reuniram-se durante dois dias (10 e 11 de março) para debater, apresentar trabalhos e provocar reflexões sobre como o conhecimento que eles estão construindo nos cursos pode ser estendido para os campos social e profissional.

abertura mesa 3

07 11

 

“Este é o I Simpósio Interdisciplinar de Integração Acadêmica, pois outros virão. Nosso objetivo é continuar promovendo a integração entre alunos e professores”, disse a diretora-presidente da Fundação Sousândrade, Evangelina Noronha. O diretor do Núcleo de Apoio Científico e Tecnológico da Fundação, Ivaldo Vidigal, representou o I.U.A. e reafirmou a importância do evento. “É uma oportunidade ímpar para analisarmos conteúdo e objetivos, com a proposta de integração acadêmica”, disse.  

O evento contou com conferência, palestras, sessões de comunicação oral e foram apresentados 30 trabalhos e 21 pôsteres. “Consideramos o evento exitoso, visto que os alunos que participaram tiveram oportunidade de se envolver em discussões de caráter acadêmico e apresentar seus projetos de investigação científica que estão desenvolvendo nos Mestrados”, analisou a professora Mestra Eliana Alves, coordenadora do simpósio. “A organização dos alunos e o nível de preparação dos projetos superaram nossas expectativas. Há uma crescente necessidade, expressa pelos estudantes, de intensificação das atividades acadêmico-científicas como forma de ampliar a competência de escrita e apresentação em eventos científicos”, complementou.

banner

08

03

02


     

A metodologia de elaboração de resumos e de apresentação de trabalhos científicos é um meio didático e interativo de aprender e desenvolver pesquisa. É também necessário para os processos históricos de produção e divulgação científica no Estado. Segundo a coordenadora, o simpósio e outros eventos dessa natureza tendem a atrair um número cada vez maior de participantes, na medida em que essa experiência relevar para todos os alunos a importância da divulgação dos conhecimentos produzidos e a integração entre eles. 

CONFERÊNCIA DE ABERTURA

Para a abertura do simpósio, foi convidado o professor cearense Casemiro Campos, Doutor em Educação e pesquisador na área de formação de professores. Ele foi professor visitante da Universidade do Porto – Portugal, com a qual coordenou Projeto de Intercâmbio Cultural. “Parabenizo a Fundação Sousândrade por este evento, pois o conhecimento tem que ter compromisso com a vida das pessoas. Um Mestre com título é uma coisa. Um Mestre producente é outra”, disse o professor na conferência. “É necessário que os saberes do mundo dialoguem, para gerar o saber do exemplo, da experiência”, complementou, citando o professor Doutor Boaventura de Sousa Santos, da Universidade de Coimbra.

publico2 professor na palestra

O tema do professor Casemiro Campos, “Educação e Formação profissional na era do conhecimento e transdisciplinaridade”, provocou discussões sobre o modo de trabalho atual e ele propôs ao alunos: “Se eu tivesse de escolher um slide desta apresentação, eu escolheria o que traz a reflexão do Boaventura sobre conhecimento (abaixo). Pensem nisto”.

so a tela

Ao final, a Fundação presenteou o  professor com um livro sobre a  cultura do Maranhão e sorteou  exemplares do livro “Didática,  ferramenta para o trabalho  docente em sala de aula”, de autoria de Campos.

 

ENTREVISTA NA RÁDIO UNIVERSIDADE FM
Clique aqui para ouvir a entrevista que o professor Casemiro Campos concedeu à Rádio Universidade FM
Casemiro na Rádio Universidade gravação Programa Rádio Opinião 10 03 17

Pagina 4 de 21

Back to Top